Notícias > FAO_Produção deve aumentar 60% até 2050
  Voltar Imprimir
 

 

 
  FAO_Produção deve aumentar 60% até 2050

A produção agrícola deve aumentar 60 por cento nos próximos 40 anos para conseguir satisfazer a crescente procura de alimentos, de forma a manter os preços controlados e a reduzir a insegurança alimentar do planeta.

Esta é uma das conclusões do relatório sobre “Perspectivas Agrícolas 2012-2021”, apresentado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), em Roma, onde está sediado este último organismo.

O relatório, que desde 2005 desenvolve projecções e análises de mercado para cerca de vinte produtos agrícolas, estima que para esse incremento de 60 por cento seja necessário produzir mais 1000 milhões de toneladas de cereais e 200 milhões de toneladas de carne por ano até 2050, comparativamente aos níveis de há cinco anos.

«O aumento da produtividade será essencial para controlar os preços dos alimentos num contexto de maior escassez de recursos e será um factor chave para reduzir a insegurança global», adianta o documento, que foi apresentado pelo director geral da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva, e pelo secretário-geral da OCDE, o mexicano Ángel Gurría.

O aumento da produtividade nos países em desenvolvimento pode dar um contributo decisivo, mas parte desta matéria-prima deve ser destinada aos biocombustíveis.

A FAO e a OCDE prevêem que a produção de bioetanol e de biodiesel duplique até 2021, sobretudo no Brasil, Estados Unidos da América e União Europeia, que vão precisar de mais cana-de-açúcar, 34 por cento; óleo vegetal, 16 por cento, e cereais, mais 14 por cento, influenciando o preço dos alimentos.

O relatório dá destaque aos preços «elevados e voláteis» das matérias-primas agrícolas, com a inflação a manter-se em alta em muitos dos países em desenvolvimento, apesar da descida registada depois de bater recordes em 2008.

As projecções estão ligadas ao mercado energético, já que preços de petróleo mais elevados, como a OCDE e a FAO prevêem para os próximos anos, levarão a uma subida dos preços das matérias-primas agrícolas, devido ao aumento dos custos de produção, mas também a uma maior procura destes produtos para utilizar em biocombustíveis.

 

Fonte:Agência Lusa

 
 
12-07-2012
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares