Notícias > Protesto em Bruxelas contra quebra de preços do leite
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Protesto em Bruxelas contra quebra de preços do leite

Convocados pelo European Milk Board (EMB), centenas de agricultores manifestaram-se em Bruxelas para protestar contra a drástica descida dos preços do leite. Por seu turno, o Copa-Cogeca exige a manutenção dos instrumentos de regulação do mercado.

Os agricultores manifestaram-se em Bruxelas com os seus tratores e com falsas vacas, junto do Parlamento Europeu, para denunciar a descida dos preços do leite causada, na sua opinião, pela superprodução na Europa.

"O leite transborda e os preços quebram”, denunciaram os representantes de produtores de leite, que foram acompanhados centenas de agricultores e uma vintena de tractores buzinando pelas ruas de Bruxelas. Eles, "simbolicamente", despejaram um "lago de leite" de cerca de 5.000 litros, em frente ao Parlamento Europeu.

“A situação está a tornar-se insustentável e a sobrevivência das explorações leiteiras está em causa", disse Romuald Schaber, presidente do European Milk Board (EMB), estrutura que representa 19 organizações de catorze diferentes países europeus, agrupando cerca de 100.000 produtores. A oferta é superior à procura, o preço por litro está a ser negociado em torno de 25 cêntimos, enquanto o custo de produção ronda os 40 cêntimos, de acordo com o BEM, que explica que, para alguns produtores, a perspectiva é agora pior do que durante a anterior "crise do leite" de 2009, que, na altura, resultou em algumas manifestações e outros protestos de grande impacto.

Os produtores da EMB exigem, de imediato, duas “medidas concretas”: uma redução voluntária dos volumes da produção em troca de compensações pagas aos produtores, bem como o estabelecimento de uma agência de monitorização europeia para que a oferta e a procura se possam reequilibrar.

O EMB considera "relativamente limitado" o custo de um programa destinado a manter o preço do leite a um nível superior a 30 cêntimos/quilo, "Apenas serão necessários 450 milhões de euros para reduzir a produção europeia em dois por cento”.  Romuald Schaber apelou aos deputados europeus para que reflictam bem sobre a reforma da PAC actualmente em discussão e que, entre outros aspectos, prevês o desmantelamento das quotas leiteiras em 2015

Por seu turno, a Copa-Cogeca, que agrupa as organizações agrárias maioritárias nos diferentes países da União Europeia, apelou a uma reforma da PAC "que não seja sinónimo de aumentos dos custos de produção, colocando pressão sobre a produção europeia de alimentos para os animais”.

Em comunicado, aquela organização também pediu que os preços de intervenção para a manteiga e para o leite em pó desnatado "sejam actualizados para reflectir os custos de produção mais elevados que estão a ser enfrentados pelos produtores. A armazenagem privada deve também ser considerada uma medida obrigatória e não opcional”.

 

Fonte:La France Agrícole/ ANIL

 
 
13-07-2012
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares