Notícias > AVIDOURO volta a reclamar apoios excepcionais
  Voltar Imprimir
 

 

 
  AVIDOURO volta a reclamar apoios excepcionais

A Associação dos Vitivinicultores Independentes do Douro insiste com o pedido de «apoios excepcionais» ao Governo para colmatar os prejuízos causados pelo granizo em «mil hectares de vinhas» em Sabrosa, Alijó e São João da Pesqueira.

A associação referiu que centenas de explorações sofreram perdas entre os 70 e os 100 por cento devido ao granizo e ao vento forte que atingiram a Região Demarcada do Douro (RDD) no dia 25 de Julho.

Segundo a Direcção Regional de Agricultura e Pesca do Norte (DRAPN), a queda de granizo terá atingido «600 a 700 hectares» de vinha. «Os prejuízos provocados atingem proporções e valores que os lavadores não suportam», salientou a associação.

Já em Maio, o mau tempo causou também estragos, segundo a Associação dos Vitivinicultores Independentes do Douro (AVIDOURO), em cerca de 100 hectares em duas freguesias do concelho de Vila Real.

Por isso mesmo, a organização voltou a reclamar, numa carta aberta enviada ao primeiro-ministro e à ministra da Agricultura, «uma ajuda excepcional, a fundo perdido, para permitir alguma tranquilidade às famílias afectadas e a continuidade de centenas de explorações em produção para as próximas campanhas». Para além da vinha, a cultura dominante na RDD, foram ainda afectados olivais e hortofrutícolas.

Os viticultores não aceitam a posição da ministra Assunção Cristas, que num primeiro momento, firmou que «não se pode beneficiar quem não teve o cuidado de fazer os seguros». Posteriormente disse que ‘haverá apoios para os vitivinicultores do Douro que perderam as suas produções».

A associação acrescentou que o Governo «não pode querer ignorar que os seguros agrícolas são demasiado caros e desadequados para os pequenos e médios» lavradores.

Acresce a isto, a queda acentuada dos rendimentos dos vitivinicultores durienses, o que, segundo a organização, faz com que os viticultores não tenham «sequer capacidade para pagar, agora, os tratamentos imediatos da vinha».

Por isso, remeter o essencial da «ajuda para as eventuais indemnizações via seguros agrícolas é fugir ao problema e é ignorar o drama de centenas de famílias».

 

Fonte: Lusa

 
 
08-08-2012
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares