Notícias > Produção de leite na UE em 2014 pode aumentar mais de um por cento
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Produção de leite na UE em 2014 pode aumentar mais de um por cento

A redução da oferta mundial de leite no primeiro semestre do ano como consequência de uma menor produção na União Europeia, Austrália e Nova Zelândia, à excepção dos Estados Unidos, levou os preços comunitários do leite, em Julho passado, a atingirem 36,36 euros por cada 100 quilos, um valor muito superior ao registado em anos anteriores.

Os preços praticados na União Europeia (UE) da manteiga, leite desnatado em pó e leite inteiro em pó foram nos primeiros oito meses do ano superiores cerca de 30 por cento frente ao mesmo período do ano passado, de acordo com a informação de previsões a curto prazo da Comissão Europeia.

Na campanha de 2012/2013, as entregas de leite na UE desceram cerca de 0,8 por cento em relação à campanha anterior. A quota não utilizada aumentou seis por cento esta campanha, o que não impediu vários países a excederem a sua quantidade de referência, como a Polónia, pela primeira vez; assim como outros habituais no pagamento da taxa, como a Alemanha, Dinamarca, Chipre e a Áustria.

Em 2014, estima-se que a produção de leite na UE-28 aumente cerca de 1,1 por cento, recuperando de uma descida registada na primeira metade de 2013, devido aos preços baixos e condições meteorológicas adversas.

Na campanha de 2014/2015 já não haverá aumento da quota, mas estão previstas maiores margens como consequência da descida de preços da alimentação e os melhores preços do leite, o que pode conduzir alguns países, como a França, que habitualmente não cobre a sua quota, a aumentar a sua produção.

Fonte: Agrodigital

 
 
09-10-2013
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares