Notícias > Situação do mercado internacional de cereais
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Situação do mercado internacional de cereais

O Índice de cereais e Oleaginosas do Conselho Internacional de cereais perdeu cinco por cento no final de Janeiro de 2014, em comparação com o mês de Novembro de 2013.

Apesar da forte procura por parte da exportação ter sido um apoio em ocasiões como a pressão dos preços do trigo devido à grande oferta mundial e os da soja, pela melhoria das condições atmosféricas e pelo início das colheitas no Brasil, ambos os índices diminuíram cerca de oito por cento desde Novembro.

O milho beneficiou de forma notável com o aumento da procura para exportação da América do Sul e a região do Mar Negro, e o sub-Índice aumentou quatro por cento. Os preços do arroz na Ásia registaram uma descida generalizada, mas uma medida destinada a impedir o acesso às existências estatais da antiga colheita levou, ultimamente, a uma subida dos preços na Tailândia.

A previsão para a produção de cereais, como o trigo e secundários, em 2013/2014 aumentou 18 milhões de toneladas até um total de 1.964 milhões. Em caso confirmativo, trata-se de um crescimento anual de 10 por cento, que inclui acréscimos de oito por cento par ao trigo e de 11 por cento par ao milho. Falta destacar que, graças aos excepcionais rendimentos, a estimativa par aa colheitas de cereais no Canadá subiu este mês cerca de sete milhões de toneladas e espera-se que as existências mundiais de cereais aumentam em 54 milhões de toneladas, cerca de 16 por cento, até um total de 387 milhões, valor que equivale a 20 por cento da procura mundial.

Apesar das dificuldades logísticas no Canadá e noutros países, a projecção para o comércio mundial de cereais aumentou 284 milhões de toneladas, superando assim o último máximo registado em 2011/2012.

Em relação ao comércio de trigo, prevê-se um crescimento de quatro por cento, para um total de 147 milhões de toneladas, o que inclui, apesar dos problemas, um aumento dos envios do Canadá em cerca de 15 por cento. Apesar das previsões de redução para as importações de milho por parte da China, para reflectir a rejeição de envios dos Estados Unidos, a projecção para o comércio mundial aumentou 108 milhões de toneladas, uma subida anual de 13 por cento em resposta à procura assinalada em outros países.

A previsão para a produção de soja voltou a aumentar, para situar-se num valor recorde de 288 milhões de toneladas, com colheitas abundantes em todos os principais exportadores. Espera-se que o comércio cresce 12 por cento, alcançando um novo máximo histórico, devido à recuperação prevista para a procura na China. O foco do Mercado sobre os passivos de exportação dos Estados Unidos prevê a anulação de uma parte da importação das vendas pendentes para a China, cujas compras foram desviadas para outras origens.

Para 2014/2015, estima-se provisoriamente que a produção total de trigo diminua cerca de um por cento, apesar do aumento da superfície em dois por cento, já que os rendimentos regressam aos seus níveis médios após de alguns resultados excepcionais durante a corrente campanha.

Fonte: Agrodigital

 
 
04-02-2014
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares