Notícias > Embargo russo tem «impacto relevante» nas exportações agro-alimentares
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Embargo russo tem «impacto relevante» nas exportações agro-alimentares

O Secretário de Estado da Agricultura admitiu ontem que a proibição colocada pela Rússia à importação de produtos agro-alimentares europeus terá um «impacto relevante» para Portugal, já que este é o quinto mercado dos produtos nacionais.

Em declarações à Lusa, José Diogo Albuquerque frisou que a Federação Russa é o quinto destino das exportações agroalimentares, representando cerca de 50 milhões de euros anuais, motivo pelo qual as empresas portuguesas vão ressentir-se das sanções.

“Tendo em conta que a Rússia é um destino importante para as nossas empresas, com certeza tem um impacto relevante para o nosso agroalimentar”, reconheceu.

A expectativa de crescimento das exportações para aquela região era de 10% (até Maio de 2014 face ao período homólogo), mas depois de a Rússia ter decretado a proibição de importar produtos alimentares dos Estados Unidos e dos países europeus, o Governo pretende agora auxiliar as empresas “a diversificar os mercados”.

A proibição, que surge como resposta às sanções económicas aplicadas à Rússia, terá a duração prevista de um ano, e aplica-se à carne de vaca, porco e aves, ao peixe, ao queijo e ao leite, aos legumes e às frutas produzidos nos Estados Unidos, na União Europeia, na Austrália, no Canadá e na Noruega.

Relativamente a Portugal, a carne de porco, que representa cerca de 6,7 milhões de euros, o peixe e pescado, os lacticínios, as tripas e os hortícolas são os produtos mais afetados pelas sanções, adiantou o governante.

“São produtos que para serem exportados têm de ter atestados fitossanitários passados pelas autoridades competentes de cada um dos países”, sublinhou, acrescentando que ainda não houve contacto oficial das autoridades russas sobre esta matéria.

Dado que a Federação Russa está integrada numa União Aduaneira, que conta também com a Bielorrússia e o Cazaquistão, não será possível exportar para nenhum destes países.

Quanto a eventuais novos mercados, nada se encontra definido: “Vamos auxiliar as empresas em função do que é relevante, vamos aguardar os tempos mais próximos para depois tomar as decisões mais adequadas”, declarou.

Em 2013, as exportações de produtos agrícolas europeus para a Rússia foram de 11,8 mil milhões de euros, correspondentes a 9,9% do total de exportações da UE para a Rússia.

No passado mês de Fevereiro, a Ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, afirmou que existiam já setenta empresas do sector agroalimentar a exportar para a Rússia e pedidos de autorização para mais quarenta a quatro.

Fonte: Dinheiro Digital / Lusa

 
 
08-08-2014
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares