Notícias > Maçã de Alcobaça estima atingir 50 mil toneladas
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Maçã de Alcobaça estima atingir 50 mil toneladas

Próximos do fim da campanha, os produtores de maçã de Alcobaça estimam que este ano saiam 50 mil toneladas do fruto dos 1200 hectares de pomar, que aposta na certificação para conquistar novos mercados.

Comparativamente ao ano passado, que foi marcado por "baixos preços à produção", o produtor Ricardo Amaro admite ter agora "boas expectativas" em relação à colheita, esperando retirar mil toneladas de maçã dos seus 13 hectares de pomar.

"Este ano está a ser um ano bom de produções, as maçãs estão com muito bom calibre, muito boa cor e a produção está a ser maior", garantiu o produtor associado da Campotec, uma das organizações de produtores que integra a Associação de Produtores de Maçã de Alcobaça (APMA), entidade gestora da Indicação Geográfica Protegida do fruto produzido entre os concelhos de Leiria e Torres Vedras.

A APMA reúne mais de mil produtores certificados, responsáveis pelaprodução integrada em 1200 hectares de pomares de onde, deverão ser colhidas 50mil toneladas de maçã. Ao longo de todo o ano este sector emprega 2500 pessoas.

Das 50 mil toneladas, cerca duas mil sairão dos vários pomares da Quinta doMatão, em Alcobaça.

"Muita qualidade"

As normas de qualidade estendem-se ao processo de conservação que vai assegurar a oferta da maçã nos mercados até ao início da próxima campanha.

"Haverá maçã todo o ano porque nós, em relação à Campotec fizemos câmaras novas, com o frio de atmosfera controlada dinâmica do mais inovador que há agora e tem estado a resultar bem", referiu Ricardo Amaro, sustentando que a fileira "está a conseguir bons resultados com esse frio sem se aplicar outros produtos".

De acordo com a directora da APMA, Carla Simões, estes factores fazem da maçã de Alcobaça um fruto de "muita qualidade" e com "várias utilidades para além do consumo em fresco".

Bloqueio da Rússia

Os produtores de maçã pretendem aumentar as exportações para a Europa e conquistar novos mercados, como o Brasil.

"É sobretudo na Europa que nós pretendemos implementar a maçã de Alcobaça com as características que a distinguem de qualquer outra, porque é uma maçã com um equilíbrio muito bom em termos de açúcares e de ácidos, muito crocante e muito saborosa que queremos dar a conhecer ao público europeu", frisou a dirigente associativa.

No entanto, esta tarefa afigura-se complicada num ano em que o embargo da Rússia aos produtos europeus está "a causar um impacto enorme".


Fonte: Correio da Manhã / Lusa

 
 
13-10-2014
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares