Notícias > 2014 foi muito positivo para a agricultura
  Voltar Imprimir
 

 

 
  2014 foi muito positivo para a agricultura

O sector agrícola português cumpriu em 2014 os seus objetivos de crescimento e viu as exportações crescerem, o que levou a uma redução do défice da balança comercial em cerca de 560 milhões de euros. Estas são as conclusões apresentaas pela secretaria de Estado da Agricultura que emitiu esta semana um comunicado em que refere que o ano que terminou foi “muito positivo” para o sector.

De acordo com o Secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, “em termos operacionais o ano de 2014 foi um ano muito exigente, mas muito positivo. Primeireiramente verificou-se uma forte preocupação em continuar a garantir aos agricultores o bom funcionamento dos instrumentos da PAC ao sector, necessários para a continuação do bom ritmo de crescimento do sector agrícola. A antecipação do pagamento das ajudas directas em Outubro pelo 3º ano consecutivo, inicialmente previsto para Dezembro de 2014, trouxe mais segurança aos agricultores e uma melhor execução orçamental.”

José Diogo Albuquerque acrescenta que “também no PRODER a nossa meta era os 92% de execução e terminamos 2014 com 93%. Isto mostra que com uma gestão eficaz dos fundos comunitários o sector dá uma reposta rápida e muito positiva. No que diz respeito ao regime de transição estamos bastante satisfeitos, pois reforçámos fortemente o ritmo de análise de candidaturas, conseguindo analisar já cerca de 5600.”

A totalidade de pagamentos PRODER efetuados em 2014 foi de 721 milhões de euros, 110 milhões dos quais referentes ao Orçamento de Estado.

O PDR 2020, que agora teve início, conta já com pagamentos no valor de 109 milhões de euros.

Fonte: Vida Rural

 
 
07-01-2015
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares