Notícias > Governo Espanhol ameaça a industria dos lacticínios
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Governo Espanhol ameaça a industria dos lacticínios

O Governo Espanhol está a pressionar a indústria de lacticínios para aumentar os preços pagos aos produtores de leite e para dar cumprimento à legislação que obriga as empresas a assinar um contrato com cada produtor com duração mínima de um ano.

Denúncias feitas por organizações agrícolas alegam que as empresas de processamento estão a intimidar os agricultores para ultrapassar esta obrigação legal.

A ministra da Agricultura do país, Isabel García Tejerina, advertiu mesmo estar disposta a impor sanções para coibir tais práticas. Isabel García Tejerina reuniu-se em Madrid com representantes da indústria, das cooperativas e as três organizações agrícolas mais representativas, para analisar as queixas dos agricultores perante a atitude das empresas após o desaparecimento das quotas leiteiras. De acordo com um dos participantes da reunião, Roberto García, secretário-geral do Sindicatos Agrícolas (AA UU), parte da UPA, a ministra voltou-se para a indústria e reclamou sobre as práticas que violam o espírito das regras insistindo que as empresas em incumprimento serão sancionadas. A ministra anunciou ainda que havia sido aprovado em Conselho de Ministros um decreto que irá forçar as empresas a declarar a quantidade de leite comprado a cada produtor.

Desde o desaparecimento das quotas que os sindicatos agrícolas têm denunciado empresas a pagar preços mais baixos e que estão a forçar os agricultores a assinar contractos em branco sob a ameaça da cessão de recolha de leite. "Tentam dar uma aparência de legalidade, mas estão a violar todas as regras", reclama Roberto Garcia. "E nenhum outro lugar está a ser tão afectado como a Galiza perante esta situação, uma vez que tem metade dos agricultores espanhóis e os preços mais baixos em todo o estado."

Segundo cálculos da AA UU, a maioria das indústrias estão a pagar cerca de 28 cêntimos por litro de leite, menos dois cêntimos do que o registado antes do desaparecimento de quotas, embora no ano passado os preços já haviam caído drasticamente. A entrada em cena da figura do comprador-intermediário que adquire directamente leite ao produtor e depois vende à industria fez com que alguns preços caíssem para os 22 cêntimos por litro.

As organizações agrícolas apresentarão uma denúncia em breve e alertam que se não houver resposta, convocarão mobilizações para Maio, coincidindo com a campanha eleitoral. García acusou a “Junta da Galiza” de manter uma atitude passiva perante o problema.

Fonte: El País / MilkPoint

(artigo do jornal "El País" e traduzido pela equipa do MilkPoint)

 
 
30-04-2015
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares