Notícias > Rússia e China aumentam importações de azeite proveniente da UE
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Rússia e China aumentam importações de azeite proveniente da UE

Na última década, a Rússia e a China aumentaram significativamente as suas importações de azeite, aparecendo a Espanha no topo da lista de fornecedores.

As importações russas de azeite e de bagaço passaram de 3.062 toneladas em 2000/2001 para 34.814 toneladas em 2013/2014, com pequenas diminuições apenas em 2005/2008 e 2008/2009 que recuperaram na campanha seguinte.

Durante a campanha de 2013/2014 as importações aumentaram 7% frente à campanha anterior. Sobre a origem das importações desta última campanha, 97% é proveniente de países da União Europeia (UE), com Espanha à cabeça com 56% do total, seguindo-se Itália, com 30%, Grécia, com 9% e Portugal, com 1%. Os restantes três por cento são da Tunísia e da Turquia, com dois e um por cento, respectivamente.

As importações de azeite e de bagaço da China entre 2001/2002 e 2011/2012 têm vindo a crescer todos os anos até um total de 45.986 toneladas. No entanto, durante as duas últimas campanhas, registou-se uma queda de -6% e -15% em relação às campanhas de 2012/2013 e 2013/2014, comparadas com as respectivas anteriores.

Nos primeiros cinco meses da actual campanha 2014/2015 as importações são semelhantes às da campanha anterior. Em relação aos países exportadores na última campanha, cerca de 88% do total tem origem de países da União Europeia, também com Espanha a liderar, com 61% do total, seguida pela Itália, com 23% e da Grécia, com quatro por cento. A Tunísia e a Turquia são os responsáveis pelos restantes doze e quatro por cento, respectivamente, exportados para a China.

Fonte: Agrodigital

 
 
14-05-2015
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares