Notícias > Importação comunitária de frutas e hortícolas de países terceiros cresce 12 por cento em Outubro
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Importação comunitária de frutas e hortícolas de países terceiros cresce 12 por cento em Outubro

O valor da importação comunitária de frutas e hortícolas procedentes de países terceiros cresceu em 12 por cento de Janeiro a Outubro de 2015 em comparação com o mesmo período do ano anterior, totalizando 11.721 milhões de euros.

De acordo com os últimos dados actualizados até este mês pelo Eurostat, enquanto o volume cresceu em dois por cento, situando-se em 11,6 milhões de toneladas. A importação extracomunitária da União Europeia (UE) de frutas cresceu em 11 por cento até Outubro de 2015, até 9.833 milhões de euros, destacando os aumentos de África do Sul, com 1.391 milhões de euros, mais 19 por cento, sendo os citrinos, uvas, maçãs e pêras as principais frutas importadas deste país.

Destacam-se também os crescimentos das importações procedentes do Chile, com 816,5 milhões de euros, mais 13 por cento e a Turquia, com 636,2 milhões de euros, mais 10 por cento. Outros países tradicionalmente fornecedores de fruta da União Europeia (UE) e, em especial de banana, como a Costa Rica e o Equador, que também aumentaram as suas exportações, mas em menor percentagem, com três por cento no caso da Costa Rica e 933,3 milhões de euros e um por cento no caso do Equador, com 731,1 milhões de euros.

Em relação às hortícolas, as importações comunitárias procedentes de terceiros países também cresceram até Outubro de 2015, com mais 12 por cento frente ao período homólogo de 2014, situando-se em 1.888 milhões de euros.

Marrocos, o principal fornecedor extracomunitário de hortícolas da União Europeia, registou um forte crescimento de 15 por cento, totalizando 630 milhões de euros. O tomate continua a ser o principal produto hortícola importado pela UE procedente de Marrocos com 295.7 milhões de euros, mais 25 por cento. Depois de Marrocos, Israel e o Egipto são os principais fornecedores de hortícolas da UE, registando também crescimentos de seis e cinco por cento, respectivamente. A batata e a cenoura são as hortícolas mais importadas para a UE de Israel e no caso do Egipto são a batata, cebola e feijão-verde.

Em volume, a importação comunitária de frutas procedentes de países terceiros aumentou em dois por ceto, até 9,9 milhões de toneladas e a de hortícolas estabilizou com 1,6 milhões de toneladas, a mesma quantidade que atá Outubro de 2014, segundo dados actualizados da Agência Europeia de Estatísticas (Eurostat).

De acordo com a FEPEX, o forte crescimento em valor das importações procedentes de países terceiros. Reflecte a facilidade de acesso ao mercado da União Europeia em comparação com outros mercados e a grande concorrência extracomunitária que enfrentam os produtores da União Europeia.

Fonte: Agrodigital

 
 
20-01-2016
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares