Notícias > FAO revê em alta produção mundial de cereais
  Voltar Imprimir
 

 

 
  FAO revê em alta produção mundial de cereais

A produção mundial de cereais para 2016 deverá ultrapassar as 2.571 milhões de toneladas, ligeiramente acima das previsões de Outubro da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação e 1,5 por cento mais que a produção de 2015.

O valor actualizado, publicado na Nota Informativa da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) sobre a oferta e a procura de cereais, reflecte uma melhoria substancial das perspectivas para a produção mundial de trigo, que espera-se que alcance os 746,7 milhões de toneladas, um aumento de 4,3 milhões frente às previsões da FAO de Outubro. 

 

Para a produção de trigo da Federação da Rússia estima-se que atinja um novo recorde, enquanto a meteorologia favorável também impulsiona as perspectivas de rendimentos no Cazaquistão. O aumento da produção mundial de trigo e cevada compensa a descida esperada de 4,8 milhões de toneladas na colheita de milho de 2016 a nível global devido ao clima adverso no Brasil, China, União Europeia (UE) e Estados Undos da América (EUA). O prognóstico para a produção mundial de arroz mantém-se praticamente sem mudanças.

As primeiras indicações da plantação de colheita de trigo de Inverno de 2017 no hemisfério Norte assinalam que os agricultores dos EUA estão a reduzir a área cultivada devido às perspectivas de baixos preços e umas previsões de exportação moderada pela fortaleza do dólar norte-americano. Assim, a cultura de trigo na Federação da Rússia e Ucrânia avançam a um maior ritmo que o ano passado.

 

Entretanto, a cultura das colheitas de cereais de Verão de 2017 está em curso nos países do hemisfério sul e as condições meteorológicas favoráveis levam a uma expansão na América d Sul. Espera-se que a superfície de milho plantada na Argentina aumente em 6,0 por cento em relação ao nível do ano passado.

A utilização total de cereais para a temporada 2016/2017 prevê-se actualmente em 2.562 milhões de toneladas, ligeiramente superior em relação a Outubro e cerca de 1,7 por cento acima período homólogo do ano passado.

O principal motivo da maior utilização dos cereais é o uso mundial de rações, que provavelmente vai crescer em 2,7 por cento. Espera-se que a utilização de trigo para rações, impulsionado por um fornecimento amplo de trigo de menor qualidade, cresça em 6,1 por cento e alcance 146,6 milhões e toneladas, o que supõe um recorde histórico.

O consumo mundial de cereais calcula-se em 1.106 milhões de toneladas, mais 1,3 por cento que o ano anterior e suficiente para manter um nível de consumo per capita estável num âmbito global.

As existências mundiais de cereais podem chegar a cerca de 662 milhões de toneladas no final das temporadas de 2017, impulsionadas pelos crescentes armazenamentos de trigo, em especial na China, EUA e na Rússia. Estima-se que as existências de cereais secundários reduzam 1,7 por cento, pressionadas pelas reduções na China, Brasil e África do Sul. Para o arroz, os stocks mundiais podem vir a baixar ligeiramente e situarem-se em 169,8 milhões de toneladas.

Fonte: Agrodigital

 
 
11-11-2016
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares