Notícias > Suínos: redução do efetivo na Alemanha; situação da DESV no Canadá; EUA prepara plano para doenças emergentes
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Suínos: redução do efetivo na Alemanha; situação da DESV no Canadá; EUA prepara plano para doenças emergentes


ALEMANHA

De acordo com os dados do Instituto Federal de Estatística (Destatis), a 3 de Maio o efetivo suinícola da Alemanha situava-se nos 27,1 milhões de cabeças. Relativamente ao mês de Novembro do passado ano, estes números significam uma redução de 1% ou, o que é o mesmo, aproximadamente menos 276 mil animais. É o efetivo de suínos mais baixo desde Novembro de 2010.

Também se destaca a redução no número de suiniculturas. Em comparação com a anterior entrega das declarações, o número de explorações diminuiu 2,7% (-700). É particularmente notória a alteração estrutural nas explorações de porcas que apresentam uma diminuição de 4,3% (- 400).


CANADÁ

Desde o reaparecimento da doença, no mês de Maio, são já 59 as novas suiniculturas afetadas pelo vírus da Diarreia Epidémica Suína no Manitoba (Canadá), 69 desde o aparecimento da doença pela primeira vez em Fevereiro de 2014. Não é claro como o vírus se está a propagar já que foi detetado em explorações sem nenhuma ligação óbvia entre si, segundo as declarações de Andrew Dickson, Diretor-Geral do Manitoba Pork Council e recolhidas pela CBC.

Há a destacar que a doença se detetou pela primeira vez numa exploração situada na parte central do sul do Manitoba. Até agora todos os casos detetados encontravam-se localizados no sudeste da Província.

Deve-se destacar que a Província do Manitoba é a maior produtora de leitões do Canadá e envia grandes quantidades de leitões desmamados para os Estados Unidos.


EUA

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o Serviço de Inspeção de Sanidade Animal e Vegetal (APHIS) e os Serviços Veterinários (VS) estão a preparar o Plano de Preparação e Resposta a Doenças Animais Emergentes.

O aparecimento de doenças emergentes pode afetar negativamente a sanidade animal, a saúde pública e o comércio. Exemplos de doenças emergentes nos Estados Unidos nos últimos 20 anos incluem o Síndroma Reprodutivo e Respiratório Suíno, a anemia infeciosa do salmão, o vírus do Nilo Ocidental e, mais recentemente, o vírus da Diarreia Epidémica Suína.

O plano fornece as diretrizes estratégicas para detetar e responder às doenças emergentes dos animais e descreve os processos a utilizar para identificar, avaliar e responder ao possível aparecimento destas doenças. Em vez de fornecer um só processo para satisfazer todas as doenças emergentes, o plano descreve as funções e responsabilidades das unidades do VS para avaliar a informação sobre saúde animal e determinar as opções de resposta. O plano também descreve a necessidade de comunicação e colaboração entre os VS, funcionários estatais de sanidade animal e representantes da produção animal bem como as partes interessadas em detetar e responder eficazmente a este tipo de doenças.

De acordo com o plano, para poder dar uma boa resposta ante o aparecimento de uma doença emergente, é necessário:

  • Conhecer que doenças, fora dos Estados Unidos, poderão causar preocupações de saúde pública ou animal, ou afetar o comércio e haver uma preparação para estas;
  • Detetar, identificar e caracterizar a doença;
  • Comunicar com as partes interessadas e o público;
  • Responder rapidamente para minimizar o impacto da doença.



Fonte: 3tres3

 
 
21-07-2017
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares