Notícias > Exportações mundiais de café atingem 100 milhões de sacas de outubro de 2016 a julho de 2017
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Exportações mundiais de café atingem 100 milhões de sacas de outubro de 2016 a julho de 2017


Em julho de 2017, os quatro principais países exportadores de café foram: Brasil - 1,75 milhão de sacas; Vietname – 1,55 milhão; Indonésia – 1,24 milhão; e Colômbia – 1 milhão de sacas (1 saca = aprox. 60 kg).

As exportações mundiais de café, no período de outubro de 2016 a julho de 2017, foram de 100 milhões de sacas de 60kg, o que representou um acréscimo no volume de 5,7 milhões em relação ao mesmo período anterior, quando foram exportadas 96,3 milhões de sacas. Especificamente no mês de julho deste ano, as exportações de café mantiveram-se elevadas, pois foram exportadas 9,4 milhões de sacas, número que representa um incremento de 11%, se comparado com julho de 2016. Contudo, uma análise detalhada do desempenho dos dados relativos às exportações dos principais países produtores revela particularidades em cada um deles.


No caso do Brasil, maior produtor e exportador mundial de café, foi exportado um volume de 1,75 milhão de sacas em julho deste ano, número que corresponde a uma redução de 11%, se comparado com julho de 2016. Esse foi o menor volume que o país exportou desde fevereiro de 2004, devido à combinação de uma safra anterior reduzida e a taxa de câmbio desfavorável em relação ao dólar norte-americano. Tais fatos conjugados afetaram a competitividade do café brasileiro no mercado mundial, conforme destacou a Organização Internacional do Café – OIC, entre outras análises, no Relatório sobre o mercado de Café – Agosto 2017, o qual está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.


Com base ainda nas análises da OIC, o Vietname, o segundo maior produtor e exportador, as vendas ao exterior do mês de julho alcançaram 1,55 milhão de sacas, ou seja, 29,6% a menos que o mês de julho de 2016. Assim, o volume acumulado das exportações vietnamitas, nos dez primeiros meses do ano cafeeiro de 2016/17 - da OIC, ficou 5,4% inferior ao volume do ano passado.


Na Colômbia, que historicamente é o terceiro país no ranking da produção e exportação de café, especificamente no mês de julho de 2017, cujas exportações foram de 1 milhão de sacas, o país posicionou-se como o quarto maior exportador de café. Tal circunstância, segundo a Organização, foi influenciada por uma greve de camionistas, que reduziu o volume de exportações. De outro lado, os números recentes mostram uma continuação do desempenho forte neste país no ano cafeeiro da OIC (outubro a setembro), as exportações totalizaram 11,2 milhões de sacas no período de outubro de 2016 a julho de 2017, ou seja, um aumento de 11,6% em relação ao mesmo período anterior, conforme as análises do Relatório sobre o mercado de Café – Agosto 2017, da OIC.


Adicionalmente, o Relatório da OIC noticia que as exportações mensais da Indonésia – tradicionalmente o quarto produtor e exportador – aumentaram, de um pouco mais de 400 mil sacas, para mais de 1,24 milhão (esse volume posiciona o país em terceiro colocado nas exportações em julho). O aumento, conforme o Relatório, foi atribuído principalmente ao incremento das exportações de café robusta verde (+115,1%) e também de café arábica (+43,6%). Assim, o volume acumulado das exportações do país, no período de outubro de 2016 a julho de 2017, foi de 6,5 milhões de sacas, número que representa um acréscimo de 38% a mais que o ano anterior.



Leia na íntegra o Relatório sobre o mercado de Café agosto 2017, da OIC, e saiba mais sobre a conjuntura mundial do café pelo link:

http://consorciopesquisacafe.com.br/arquivos/consorcio/publicacoes_tecnicas/OICagosto2017.pdf





Fonte: Embrapa

 
 
28-09-2017
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares