Notícias > Estados Unidos e União Europeia, em especial a Rússia, poderão complementar a oferta de trigo do Mercosul
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Estados Unidos e União Europeia, em especial a Rússia, poderão complementar a oferta de trigo do Mercosul


Os problemas climáticos que afetam a produção de trigo na América do Sul podem comprometer a qualidade do produto mas não o volume, avaliam participantes do Congresso do Internacional da Indústria do Trigo, que acontece em Campinas (SP) no Brasil. "Os argentinos terão safra cheia. A única tendência é algum nível de qualidade inferior, mas nada que traga problemas para a indústria nacional", considerou um representante da indústria que se abastece no país vizinho.

Mais cedo, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que os Estados Unidos e União Europeia, em especial a Rússia, poderão complementar a oferta do Mercosul. O executivo ouvido pelo Broadcast Agro, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, que não quis se identificar, afirma, no entanto que expectativa é de que 750 mil a 800 mil toneladas do cereal dos EUA sejam importados pela indústria do Nordeste se o governo brasileiro, a exemplo de anos anteriores em que a produção nacional caiu, retirar a Tarifa Externa Comum (TEC) para o cereal.

No caso da Europa, Maggi destacou que os russos produziram mais de 80 milhões de toneladas de trigo neste ano e querem exportar para o Brasil. Novamente na contramão, o executivo da multinacional disse que as tradings descartam a possibilidade de importar o cereal da Rússia porque, além de ser um produto com preço mais alto, a qualidade é inferior comparada à dos demais fornecedores externos. "Economicamente, não é viável", enfatizou. "O fomento do governo para a aquisição de trigo russo está mais relacionado a acordos comerciais de outros produtos agropecuários do que ao que é, de fato, melhor para a cadeia. Todos os anos falam sobre esta possibilidade porque quando se estabelece a venda de carne suína para a Rússia, por exemplo, o governo daquele país quer nos vender algo como contrapartida. Na prática, isso não acontece", explica a fonte.




Fonte: Globo Rural

 
 
25-10-2017
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares