Notícias > Ásia continua a dominar o crescimento no retalho alimentar global. Maior empresa de distribuição alimentar russa torna-se membro da European Marketing Distribution
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Ásia continua a dominar o crescimento no retalho alimentar global. Maior empresa de distribuição alimentar russa torna-se membro da European Marketing Distribution


ÁSIA

O mercado global de retalho alimentar vai crescer 2,28 biliões de euros em vendas até 2022, com a evolução nos próximos cinco anos a ser dominada pela Ásia, de acordo com previsões divulgadas pela IGD.

O mercado de retalho alimentar da Ásia será significativamente impulsionado por uma crescente população e maior gasto dos consumidores. Estes representarão quase metade das vendas adicionais geradas até 2022.

O crescimento global será impulsionado por vários fatores, incluindo a inflação, crescimento populacional e aumento dos gastos dos consumidores em produtos de supermercado.

As previsões globais da IGD para 2022 incluem outras descobertas. O mercado retalhista da Ásia aumentará mil milhões de euros em vendas, que é mais do que África, Europa e América Latina combinadas, e gozará de uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 6,6%.

Com uma CAGR de 4,2%, a Europa deverá beneficiar do maior aumento nos gastos com consumidores, impulsionados por países da Europa Central e de Leste. A América do Norte somará quase 84 mil milhões de euros ao seu mercado retalhista até 2022 e o mercado da América Latina será dominado pelo Brasil e pelo México, representando quase 10% das vendas.

No entanto, a consciência das causas subjacentes do crescimento em cada região é fundamental. Em África, o crescimento será impulsionado principalmente pela inflação, em vez de aumentar o gasto dos consumidores. As oportunidades de crescimento mais atraentes e sustentáveis estão em mercados onde o aumento das vendas será devido ao crescimento populacional ou do consumo, por exemplo, Ásia, América Latina e América do Norte. 

"Com a China, a Índia e o Japão no nosso top 5, o mercado retalhista  da Ásia continua a ter saúde graças ao aumento populacional e do rendimento disponível. As inovações neste mercado também continuam em alta, especialmente na China, onde os retalhistas estão a impulsionar os canais online e de conveniência", comenta Jon Wright, diretor de Retail Insight da IDG.  

"O Brasil, que passou para a quarta posição no ranking mundial, continua a dominar a América Latina, com uma taxa de crescimento prevista de 7% para os próximos cinco anos. À medida que o cenário económico do país melhora, os formatos premium de supermercados  devem proporcionar aos fabricantes grandes oportunidades, enquanto o canal de conveniência também será uma importante área de crescimento .

Apesar de uma perspetiva económica mais desafiadora na Europa, o mercado retalhista terá um crescimento dinâmico, impulsionado pelos países da Europa Central e Oriental, que superará os seus homólogos da Europa Ocidental. O crescimento será conduzido por retalhistas locais que estão a planear amplos programas de abertura de lojas em grandes mercados, como a Rússia e a Roménia, onde a consolidação do mercado ainda é baixa.



RÚSSIA

A retalhista russa Lenta acaba de se tornar membro da central europeia de compras para a distribuição alimentar European Marketing Distribution (EMD) AG.

Enquanto membro da EMD, organização a operar em 22 países (incluindo Portugal através da EuromadiPort), a retalhista russa terá um maior acesso ao comércio internacional de bens, assim como maior facilidade de obter sinergias de marketing e novas opções de negócio, seja através de marcas de fornecedores ou da marca privada.

Fundada em São Petersburgo em 1993, a Lenta apresenta uma receita anual de 4,5 mil milhões de euros, detendo um parque de 67 supermercados, 202 hipermercados e sete centros de distribuição próprios, ao longo dos quais trabalham 40 400 colaboradores. A marca própria absorveu 11, 9 % do total de vendas da cadeia no último ano.

A distribuidora é a maior cadeia de hipermercados da Rússia, em área de venda, e apresenta a quinta maior faturação do retalho alimentar naquele país. As lojas “hiper” têm em média 5700 metros quadrados de área de venda.

O grupo de negociação para abastecimento de cadeias de retalho EMD está representado em 20 países europeus, Austrália e Nova Zelândia, traduzindo uma receita acumulada (incluindo também Rússia) de cerca de 184 mil milhões de euros.






Fonte: Grande Consumo / Hipersuper

 
 
24-11-2017
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares