Notícias > Produção mundial de azeite aumenta 14% em 2017/2018
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Produção mundial de azeite aumenta 14% em 2017/2018


A produção mundial de azeite para a campanha 2017/2018 atinge as 2.894.000 toneladas, mais 14% em relação à campanha anterior, segundo os últimos dados do Conselho Oleícola Internacional (COI).

Os países membros do COI alcançam uma produção total de 2.717.000 toneladas, das quais, os países produtores europeus totalizam 1.805.000 toneladas, com um aumento do consumo de 3% em relação à campanha anterior.

Portugal, com uma produção de 78.800 toneladas, mais 14%, a Itália com um total de 320 mil toneladas, mais 76% e a Grécia soma 300 mil toneladas, mais 54%, enquanto a produção de azeite em Espanha reflete uma quebra de -15%, com uma produção de 1.090.500 toneladas.

Para os restantes países membros do COI estima-se que a produção aumente significativamente em cerca de 51%, comparando com a campanha anterior.

Os principais aumentos registam-se na Turquia, com 287 mil toneladas, mais 62%; seguida pela Tunísia com uma produção de 220 mil toneladas, mais 120%; Marrocos com 140 mil toneladas, mais 27%; Argélia com 80 mil, mais 27%; Argentina com 37.500 toneladas, mais 74%; a Jordânia e o Egito com uma produção de 25 mil toneladas, assinalando um aumento de 25 por cento, respetivamente; a Líbia com 18 mil toneladas, mais 12 por cento; Israel com 16 mil, mais sete por cento e o Líbano passa por uma quebra de -9 por cento, com uma produção de 23 mil toneladas.

De acordo com o COI, o consumo mundial de azeite para a campanha 2017/2018 estima-se em 2.954.000 toneladas, o que representa um aumento de cinco por cento em comparação ao período anterior.






Fonte: Agrotec / Agrodigital

 
 
12-12-2017
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares